Filmes de janeiro

1. Contos da Lua Vaga Depois da Chuva (Kenji Mizoguchi, Japão, 1953) ****½
2. Missão Madrinha de Casamento (Paul Feig, EUA, 2011) **½

3. Românticos Anônimos (Jean-Pierre Améris, França/Bélgica, 2010) ***

4. A Missão do Gerente de Recursos Humanos (Eran Riklis, Israel/Alemanha/França/Romênia, 2010) ***

5. Um Dia (Lone Scherfig, EUA/Reino Unido, 2011) *½

6. Corumbiara (Vincent Carelli, Brasil, 2009) ***½

7. Sapatinhos Vermelhos (Michael Powell e Emeric Pressburger, Reino Unido, 1948) ****

8. Bróder (Jeferson De, Brasil, 2010) **½

9. Politécnica (Denis Villeneuve, Canadá, 2009) ***½

10. Nada Pessoal (Urszula Antoniak, Irlanda/Holanda, 2009) ***

11. As Aventuras de Tintim: O Segredo do Licorne (Steven Spielberg, EUA/Nova Zelândia, 2011) ***½

12. Ataque ao Prédio (Joe Cornish, Reino Unido/França, 2011) ***½

13. Andrei Rublev (Andrei Tarkovski, União Soviética, 1966) *****

14. Ganhar ou Ganhar: A Vida é um Jogo (Thomas McCarthy, EUA, 2011) **½

15. A Árvore do Amor (Zhang Yimou, China, 2010) ****

16. O Retorno de Tamara (Stephen Frears, Reino Unido, 201o) ***

17. Solaris (Andrei Tarkovski, União Soviética, 1972) ****½

18. O Espelho (Andrei Tarkovski, União Soviética, 1975) ****

19. A Eternidade e um Dia (Theo Angelopoulos, Grécia/França/Alemanha/Itália, 1998) ****

Revisões:

20. Cisne Negro (Darren Aronofsky, EUA, 2011) ****

3 thoughts on “Filmes de janeiro

  1. Rapaz, que vergonha: não assisti a nenhum dos filmes inéditos que você listou. Só mesmo CISNE NEGRO, sua revisão do mês, do qual gosto muito. Tenho SOLARIS do Tarkovski em dvd aqui, mas nunca animei de encarar (o mesmo acontece com NOSTALGIA, também do Tarkovski, que comprei mas nunca assisti). Dele só assisti STALKER e A INFÂNCIA DE IVAN, e acho ambos maravilhosos. SAPATINHOS VERMELHOS tenho no computador, e até hoje, nada também… no mais, tenho alguma curiosidade quanto a MISSÃO MADRINHA DE CASAMENTO e ATAQUE AO PRÉDIO.
    Abraço!

  2. Elizio, se Nada Pessoal merece mais? Não! Se Árvore do Amor merece menos? Também não! O primeiro é bem sutil, tem ótimos momentos, um ritmo muito próprio, mas não me empolgou. Já o chinês me conquistou pelo melodrama na dose certa, pela segurança da direção e foco do roteiro e pela melancolia que se insinua desde o início e continua por todo o filme. E, sim, meu caro, o mês foi mesmo fraco e tu sabe que aquela parte da dissertação me roubou muito tempo. Espero que os próximos sejam mais felizes em quantidade.

    Wallace, tomei vergonha na cara e estou passando a limpo a filmografia do Tarkovski e estou conseguindo fazer isso cronologicamente. Stalker é o meu próximo, e gosto muito de A Infância de Ivan, mas longe de ser um filmaço (na verdade, preciso rever pois conferi há um tempo). Ao mesmo tempo, quero começar a leitura de Esculpir o Tempo também que sou louco pra ler. Sapatinhos Vermelhos é ótimo, vi muito por causa de Cisne Negro que dizem ser referenciado pelo filme inglês. E não deixe de ver Ataque ao Prédio, é uma delícia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Arquivos