Relembrando Tarkovski

Terminou na semana passada, aqui em Salvador, o Ciclo Tarkovski, promovido pelo projeto Cinematográfico. Pra quem é da cidade e não conhece as atividades desenvolvidas por Fabrício Ramos e Camele Queiroz, precisa perder alguns pontos na carteirinha da cinefilia. Eles possuem lugar cativo na programação semanal do Circuito Saladearte e desenvolvem uma série de exibições, distribuídos entre todas as salas do circuito, finalizadas com conversas sobre os filmes.

A mostra com as obras do Tarkovski – foram exibidos todos os longas, menos o documentário feito em conjunto com o roteirista italiano Tonino Guerra, Tempo de Viagem – faz parte de uma das ações do projeto, o Cine Cineasta, que foca, todo mês, na obra de um grande cineasta reconhecido. No caso do mestre russo, deu pra dar conta da integralidade de suas ficções em longa-metragem, exibidos em ordem cronológica.

Aqui, link da página do Cinematógrafo no Facebook, onde é possível acompanhar a agenda de exibições e saber sobre todas as ações promovidas por eles.

Infelizmente, não consegui ver no cinema meu Tarkovski preferido: Andrei Rublev, monumental exploração sobre a arte, a iluminação criadora do homem e também o seu ímpeto destrutivo, obra-prima absoluta. Mas de Solaris em diante pude rever as reflexões cada vez mais poderosas que o cineasta promovia a cada filme.

Toda essa aventura Tarkovski me fez lembrar a retrospectiva que o cineasta ganhou na Mostra de Cinema São Paulo, em 2012, minha primeira ida ao super evento na capital paulista. Jovem e ingênuo, porém ávido pelos filmes e pela sensação de mergulhar naquela maratona louca, vi e revi, com prazer, alguns filmes do cineasta em cópias incríveis – O Sacrifício mesmo, em película novíssima, eu assisti ao lado do filho do Tarkovski, que cuida da obra do pai e estava na Mostra para apresentar as sessões.

Com essas memórias e à luz das revisões de alguns filmes, deixo aqui minha lista com os longas do cineasta em ordem de preferência. O ranking também está postado lá no meu Letterboxd.

Andrei Rublev (1966)
O Sacrifício (1986)
Stalker (1979)
Solaris (1972)
Nostalgia (1983)
O Espelho (1975)
Tempo de Viagem (1983)
A Infância de Ivan (1962)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Arquivos