XI Panorama Internacional Coisa de Cinema

Hoje é dada a largada para mais uma edição do Panorama Internacional Coisa de Cinema, a décima primeira, evento já tradicional que acontece em Salvador e Cachoeira, com aquele olhar aguçado para o que se tem produzido de vigoroso e vital na produção brasileira, além de filmes internacionais, clássicos, mais mesas-redondas, debates, oficinas, encontro com realizadores, festas.

É uma celebração mais do que bem-vinda da cinefilia numa Bahia que tanto carece de espaços dessa natureza, e que encontra tanta gente ávida para compartilhar filmes e sensações, reflexões e desejos, diante do cinema, diante do mundo.

Mais uma vez (a quarta), tive a oportunidade de fazer parte da equipe de curadoria das mostras competitivas nacionais e internacionais, mais focado nos curtas-metragens dessa vez. Também é a segunda oportunidade que me dão de ministrar a Oficina de Escrita Crítica para Cinema, uma felicidade imensa de poder debater e mostrar a crítica como atitude diante das imagens em movimento, diante das coisas da vida, para um público interessado, quem sabem inspirá-los a continuar nesse caminho, árduo.

Sobre isso, é muito bom ver o Panorama homenageando o centenário do grande crítico, ensaísta, cineclubista e agitador cultural Walter da Silveira, com direito a seminário sobre ele e exibição especial de O Garoto, de Charles Chaplin, um dos mimos de Dr. Walter. Também componho, com prazer, umas dessas mesas junto com tanta gente boa e competente.

E este ano, envolto em tantas atividades, vou me esforçar para escrever, aqui neste espaço, sobre os filmes que eu for vendo, na medida do possível da competição nacional após a passagem do furacão.

O site com a programação completa pode ser acessado aqui. A abertura, hoje à noite, conta a exibição gratuita de Tudo que Aprendemos Juntos, do baiano Sérgio Machado. Que seja mais um Panorama de riquezas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Arquivos