Mostra SP – Ranking Geral

 

Foram 30 filmes em oito dias, intensos, corridos, vibrantes, cheios de encontros e desencontros. Com gente boa, com muitos filmes. Aqui, listo meu ranking pessoal em ordem de preferência:
Paterson (Jim Jarmusch,
EUA, 2016) ****
Elle (Paul
Verhoeven, França/Alemanha/Bélgica, 2016) ****
O Ignorante (Paul Vecchiali,
França, 2016) ***½
Depois da
Tempestade

(Hirokazu Kore-eda, Japão, 2016) ***½
Marguerite e
Julien

(Valérie Donzelli, França, 2016) ***½
Invasão Zumbi (Yeon Sang-ho,
Coreia do Sul, 2016) ***½
Ma’ Rosa (Brillante
Mendonza, Filipinas, 2016) ***½
Beduíno (Júlio
Bressane, Brasil, 2016) ***½
Tempestade de
Areia

(Elite Zexer, Israel, 2016) ***½
Um Casamento (Mônica Simões,
Brasil, 2016) ***½
Belos Sonhos (Marco
Bellocchio, Itália/França, 2016) ***
O Nascimento de
uma Nação

(Nate Parker, EUA, 2016) ***
O Apartamento (Asghar
Farhadi, Irã, 2016) ***
A Luta do Século (Sérgio
Machado, Brasil, 2016) ***
The Fits (Anna Rose Holmer, EUA, 2015)
***
O Segredo da
Câmera Escura

(Kiyoshi Kurosawa, França/Bélgica/ Japão, 2016) ***
A Garota
Desconhecida

(Jean Pierre Dardenne e Luc Dardenne, Bélgica/França, 2016) ***
Axé: O Canto do
Povo de um Lugar

(Chico Kertész, Brasil, 2016) ***
O Caminho para
Istambul

(Rachid Bouchareb, Bélgica/França, 2016) **½
Redemoinho (José Luiz
Villamarim, Brasil, 2016) **½
El Primero de la
Familia

(Carlos Leiva, Chile, 2016) **½
Poesia sem Fim (Alejandro
Jodorowsky, Chile/França, 2016) **
O Plano de
Maggie

(Rebecca Miller, EUA, 2015) **
Animais Noturnos (Tom Ford, EUA,
2016) **
Hee (Kaori Momoi,
Japão, 2015) *
O Último Vagão (Andreas Schapp,
Alemanha, 2016) *
Hors-Concours
Persona (Ingmar
Bergman, Suécia, 1966) *****
O Quarto Homem (Paul
Verhoeven, Holanda, 1983) ****½
Decálogo VI (Não
Amarás)

(Krzysztof Kieslowski, Polônia/Alemanha
Ocidental, 1989) ****½
Kanal (Andrzej Wajda,
Polônia, 1957) ****
A Hora da
Religião

(Marco Bellocchio, Itália, 2002) ****
Decálogo V (Não
Matarás)

(Krzysztof Kieslowski, Polônia/Alemanha
Ocidental, 1989) ****
Cinzas e
Diamantes

(Andrzej Wajda, Polônia, 1958) ****

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Arquivos