Filmes de junho

1. A Vida dos
Peixes

(Matías Bize, Chile/França, 2010) ***
2. À Espera de
Turistas

(Robert Thalheim, Alemanha, 2007) ***
3. Aliens – O
Resgate

(James Cameron, EUA/Reino Unido, 1986) *
4. Solteiros com
Filhos

(Jennifer Westfeldt, EUA, 2011) ****
5. Madagascar 3
– Os Procurados

(Eric Darnell, Tom McGrath e Conrad Vernon, EUA, 2012) ***½
6. Prometheus (Ridley Scott,
EUA, 2012) ***
7. A Hora Zero (Pascal Thomas,
França, 2007) ***½
8. As Neves do
Kilimanjaro
(Robert
Guédiguian, França, 2011) ***½
9. A Delicadeza
do Amor
(David
Foenkinos e Stéphane Foenkinos, França, 2011) **
10. O Grito da
Terra

(Olney São Paulo, Brasil, 1964) ***½
11. Essential
Killing
(Jerzy
Skolimowski, Polônia/Noruega/Iranda/Hungria, 2010) ***½
12. 12 Horas (Heitor Dhalia,
EUA, 2012) **
13. Jovens
Adultos
(Jason
Reitman, EUA, 2011) **
14. Deus da
Carnificina
(Roman
Polanski, França/Alemanha /Polônia/Espanha, 2011) ***½
15. A Vida em Um
Dia

(Kevin McDonald e outros, EUA/Reino Unido, 2011) ***½
16. Kaboom (Gregg Araki,
EUA/França, 2010) **½
17. Branca de
Neve e o Caçador

(Rupert Sanders, EUA, 2012) **
18. Vou Rifar
Meu Coração

(Ana Rieper, Brasil, 2011) ***½
19. George Harrison: Living in the Material World (Martin Scorsese, EUA, 2011) ****
20. Apenas Uma
Noite

(Massy Tadjedin, EUA/França, 2010) ***
21. Os
Cafajestes

(Ruy Guerra, Brasil, 1962) ****
22. Estranho
Encontro

(Walter Hugo Khouri, Brasil, 1958) ****
23. Sombras da
Noite

(Tim Burton, EUA, 2012) ***
24. Clementina
de Jesus, Rainha Quelé
(Werinton Kermes e Heron Coelho, Brasil, 2011) **½
25. Underground
– Mentiras de Guerra

(Emir Kusturica, Iugoslávia/ França/Alemanha/Bulgária/República Tcheca/Hungria, 1995)
****
26. Weekend (Andrew Haigh,
Reino Unido, 2011) **½
27. Mr.
Sgarzerla – Os Signos da Luz
(Joel Pizzini, Brasil, 2011) ***½
28. M*A*S*H* (Robert Altman,
EUA, 1970) ***
29. Scanners –
Sua Mente Pode Destruir
(David Cronenberg, Canadá, 1981) ****
30. A Era do
Gelo 4

(Steve Martino e Mike Thurmeier, EUA, 2012) **½
31. Bonitinha,
mas Ordinária

(J. P. de Carvalho, Brasil, 1963) ****
32. Uma Vida em
Segredo

(Suzana Amaral, Brasil, 2001) ***
33. Quando Papai
Saiu em Viagem de Negócios
(Emir Kusturica, Iugoslávia, 1985) ***½
34. Pai Patrão (Paolo e
Vittorio Tavianni, Itália, 1977) ****
35. A Classe
Operária Vai ao Paraíso
(Elio Petri, Itália, 1971) ****½
36. Para Roma,
Com Amor

(Woody Allen, EUA/Itália/Espanha, 2012) ***
Revisões:
37. Alien, O
Oitavo Passageiro

(Ridley Scott, EUA/Reino Unido, 1979) *****
38. A Caixa de Pandora (Georg W. Pabst, Alemanha, 1929) *****

4 thoughts on “Filmes de junho

  1. Apenas dois asteriscos para o maravilhoso "A Delicadeza do Amor"? Quanta falta de delicadeza! E juro que não sabia que você havia detestado "Aliens – O Resgate". Eis minhas cotações:

    Aliens – O Resgate – ****
    Prometheus – ***
    A Delicadeza do Amor – ****
    12 Horas – ***
    Jovens Adultos – ***
    Deus da Carnificina – **
    Kaboom – *
    Branca de Neve e o Caçador – **
    Sombras da Noite – ***
    M*A*S*H* – **
    Scanners – Sua Mente Pode Destruir – *
    Para Roma, Com Amor – ****
    Alien, O Oitavo Passageiro – *****

    Em tempo: o senhor conseguiu ver uma excelente quantidade de filmes, hein?
    Um abraço.

  2. Alex, eu queria muito ter gostado de A delicadeza do Amor, mas vendo o filme fiquei impressionando com roteiro tão bagunçado, personagens tão perdidos e execução tão boba. Não entendi porque quiseram bagunçar um filme que parecia tão mais simples, uma história que podia ser tão mais bonita. Sobre Aliens, parece que sou o único na face da Terra que não gosta desse filme, mas o argumento me parece furado, os personagens super caricaturais e mal desenvolvidos, as situações forçadas demais. Restam só algumas boas cenas de ação. Só.

    Deus da Carnificina tem divido um tanto as opiniões, mas como proposta acho muito bem executada, com um texto que não esconde sua origem teatral. Engraçado como acho Scanner um filme cheio de falhas (sobretudo de roteiro), mas que abraça tão bem sua proposta, com a habitual fixação do Cronenberg pelos limites do corpo, que consigo achar fascinante, corajoso, com personalidade. MASH é bom, mas pensei que seria melhor, pela Palma de Ouro. E o novo Woody Allen é legal, mas não tanto assim. Um filme super simples, no fim das contas.

  3. Rafael, acho completamente supérfluos tanto Aliens quanto os seguintes. Para mim só valem os dois do Ridley Scott: "Alien" e "Prometheus". Se RS fizer mais algum da série será muito bem vindo!

  4. Stella, das continuações eu só vi o do Cameron, e fiquei impressionado como tanta gente adora tanto o filme. Pra mim, a história não se justifica, as situações são forçadas e personagens caricatos demais. E pela forma como Prometheus termina, espero que vá surgir um próximo, sim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Arquivos