Adeus, São Paulo. Alô, São Salvador

Alquebrado, cheguei a Salvador ontem à tarde e fui direto pra abertura do Panorama Coisa de Cinema. A Mostra de São Paulo passou como um furacão, foram 10 dias de maratona louca, mas deliciosa. Deixei-a lá, no último dia, porque outra jornada começa – mas ainda voltarei à Mostra. Na abertura do Panorama, concorridíssima, Meu Amigo Fela, de Joelzito Araújo, e A Vida Invisível, de Karim Aïnouz. O Glauber Rocha estava fervendo, de gente, de animação, de frenesi pelos dias intensos de cinema que temos pela frente.

Vi o filme do Karim lá em São Paulo, entrevistei-o aqui em Salvador esta manhã. Fazemos o que podemos. Karim, articuladíssimo, fala do patriarcado, da sua formação familiar cercado de muitas mulheres, de como se sente confortável em retratar e trafegar por esse universo. Mas avisa: “este não é um filme feminista, mas anti-machista”. A Vida Invisível estreia no próximo dia 21 de novembro. Preparo matéria no A Tarde, aguardem.

E o Panorama tá aí, cheio de coisas deliciosas pra gente provar. Competitiva nacional e baiana afiadas, foco no Louis Malle, Glauber Rocha (A Idade da Terra!), longas baianos históricos, Orlando Sena em dose dupla. Enfim, cardápio ta variado. Desfrutem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Arquivos